Grupo Tático Operacional prende nove acusados de envolvimento em crimes

0
391

A polícia Militar apresentou na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil em Parauapebas, oito pessoas acusadas de trafico de droga, porte ilegal de arma e assaltos. A prisão foi realizada por volta das 2h30 da madrugada, de sexta-feira, 29, na Rua Grajaú, 413, bairro casas Populares I, pelo Policiamento do Grupo Tático Operacional (GTO), com auxilio da VTR – do oficial do dia tenente PM Faustino, após informações realizadas pelo Centro de Controle Operacional (CCO), que no local havia um individuo arma e que o mesmo vinha praticado assalto na cidade, as viaturas se deslocaram para lá e lograram êxito capturando o acusado e mais 7 pessoas com ele.

Na hora em que foram detidos os mesmos se encontravam participando de uma festa rave no logradouro. Entre os apresentados na delegacia estão: Kellson Wanderson da Silva Cardoso, 19 anos de idade, Marlone Ferreira da Silva, 20, Laideson Amorim de Bessa, 20, Jailton Cardoso dos Santos, 20, Glaubert Mendes da Silva, 21, Laian Cristian Amorim de Bassa 22, Afonso Henrique Silva de Lima, 22, vulgo “Magavelha”, e Gleicenalia do Nascimento Braga, 32.

De acordo com o sargento PM Mendonça, “Magavelha”, é figura conhecida da polícia, contumaz na pratica de assaltos, e nos últimos dois dias havia realizado vários roubo na cidade. Quanto à mulher Gleicenalia, segundo a polícia, era quem emprestava a arma para “Magavelha” realizar os assaltos.

Ainda de acordo com o policial, Gleicenalia Nascimento, é companheira do detento Rafael de Alencar Oliveira, 18, que se encontra preso na Regional em Marabá, a cerca de cinco meses por assalto a mão armada.

Além de duas motos, uma Honda FAN vermelha, e uma Honda TITAN verde, apreendidas com o bando, a polícia apresentou na Depol um revolver calibre 38, sem numero de identificação e uma munição intacta, a arma seria de “Magavelha”, que a dois dias teria devolvido para Gleicenalia Nascimento.

Ouvido pela reportagem “Magavelha” confessou ter praticado dois assaltos a cerca de dois dias, já o restante da turma negou envolvimento em crime e disseram que estariam no local apenas participando da festa e ingerindo bebida alcoólica, porém a mulher confessou ter emprestado a arma a Afonso Henrique, por ordem de seu companheiro preso. Pela manhã diante do delegado André Tavares, a mulher mudou sua versão e disse que apenas teria guardado a arma por que Rafael Alencar teria ligado mandando que recebesse e guardasse.

De todos apresentados pela PM apenas dois ficaram presos Afonso Henrique o Magavelha e Gleicenalia Nascimento. A policia vai averiguar se Rafael Alencar recolhido na Regional em Marabá está comandando o bando de dentro da cadeia.

(Caetano Silva)

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui