Em Canaã, casa da Cultura reúne agentes pela valorização artística do sudeste do Pará

0
369
A Casa da Cultura de Canaã dos Carajás foi protagonista de importante iniciativa realizada no Sudeste do Pará. O workshop Gestão de Espaços Culturais e Patrimônio Cultural Brasileiro, conduzido pelo Instituto Inhotim, reuniu mais de 30 participantes de equipes técnicas das Secretarias de Cultura, representantes de instituições e agentes atuantes no setor cultural de Canaã dos Carajás, Parauapebas, Marabá, Eldorado dos Carajás e Rondon do Pará.

 

Com o objetivo de fortalecer e capacitar representantes da região, o encontro envolveu os participantes em uma discussão sobre cultura e estimulou a construção de uma rede local que contribua para o desenvolvimento da região neste setor. O workshop contou com a experiência do Instituto Inhotim, hoje referência internacional, com um dos mais relevantes acervos de arte contemporânea do mundo e uma coleção botânica que reúne espécies raras de todos os continentes. Seu acervo possibilita o desenvolvimento de atividades educativas e sociais para públicos de diferentes faixas etárias.

 

De acordo com o diretor executivo do Instituto, Antônio Grassi, é fundamental que o Brasil consiga perceber seu interior como ambientes culturalmente muito diversos e ricos. “A região Norte é um exemplo disso e se mostra muito potente na área cultural. Nossa presença aqui tem muito a ver com isso. O Inhotim está também localizado em uma cidade do interior e é um exemplo de que é possível fazer ações culturais relevantes fora dos grandes centros. Aqui, nas cidades do interior do Pará, está latente essa questão cultural, que só precisa de um estímulo para deslanchar”, comentou.

 

A gerente de Educação do Instituto Inhotim, Yara Castanheira, destacou a importância de se preservar os patrimônios e identidades culturais. “Falar desses temas é falar de coisas que não são imutáveis, mas que precisam ser preservadas e mantidas, sem necessariamente ficarem estáticas. Esse tipo de movimento é imprescindível. Sem ele, a cultura não anda”, afirmou.

 

Evento reuniu agentes de Canaã, Eldorado, Marabá, Parauapebas e Rondon
Encontros e conhecimento fizeram surgir Mulheres de Barro

Iniciativas de capacitação como este workshop criam um movimento favorável ao desenvolvimento da cultura na região, segundo a coordenadora do Centro Mulheres de Barro, Sandra Santos, que participou do encontro. “No meu caso, eu participo das capacitações desde as primeiras realizadas aqui no território, proporcionadas pela Vale e Fundação Vale. Daí em diante, meu horizonte se abriu para ver nessas formações, por menor que fossem, uma possibilidade de avançar para esse desenvolvimento cultural. Graças a esse acúmulo de conhecimento, conseguimos constituir o espaço que hoje é o Centro Mulheres de Barro, em Parauapebas, que conta com o patrocínio da Vale”, explicou.

 

Serviço:

 

Casa da Cultura de Canaã dos Carajás

A Casa faz parte da rede de ativos culturais da Vale, localizados em diferentes estados do país, que atua para ampliar o acesso à Cultura e preservação do patrimônio cultural brasileiro. Dentre suas ações, desenvolve projetos educativos como a Escola de Formação Musical e de Ballet, a Biblioteca e o Arquivo Público, além de programações mensais.

Endereço: rua das Esmeraldas, s/n, bairro Jardim das Palmeiras

Horário de funcionamento: das 8 às 12h e das 14 às 18h, de terça-feira à sábado

 

Mulheres de Barro

O Centro Mulheres de Barro de Exposição e Educação Patrimonial da Serra dos Carajás está localizado na Alameda Castelo Branco, quadra 187, lote 107, ao lado do Mercado Municipal do bairro Rio Verde, com entrada pela Rua Araguaia. A unidade ficará aberta ao público de terça a sexta-feira, das 9h às 18h. E aos sábados, domingos e feriados, das 10h às 17h

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.