Cuidado com o anúncio: Cresce o comércio de compra e venda nas redes sociais em Parauapebas

0
488

Uma nova modalidade de comércio online está ganhando força nas redes sociais, são os grupos do “desapego”, mais conhecidos como grupos de trocas e vendas pela internet. Para vendedores, uma das vantagens é não ter gastos para montar um site, com isso o produto é vendido com preço mais acessível e alcança mais pessoas. Esses grupos de pessoas interessadas em oferecer, comprar e até trocar produtos novos e usados, também contagiou Parauapebas e região.

Em pesquisa dentro de um dos grupos de venda e troca de Parauapebas, os participantes dizem que o comércio funciona de forma eficaz, muitos estão satisfeitos com a venda, troca ou compra.

Iaponira Rodrigues é cabeleireira e participa a mais de um ano dos grupos em aplicativos de mensagens e redes sociais, além de divulgar seu salão ela vende roupas e bolsas de marca com preço baixo.

Esse comércio cresceu devido à rapidez, facilidade e os descontos atrativos, só que com isso cresce também os problemas, afinal de contas não há garantia da qualidade e procedência dos produtos, tudo é à base de confiança, e todo cuidado é pouco. Este mês vários casos de compras pela internet passaram nos jornais devido as fraudes nas vendas onde muitos consumidores recebiam caixas com tijolo, garrafa de água ou vazias, no lugar do produto comprado.

Pesquisando dentre os grupos de Parauapebas, encontramos anúncios com irregularidades e vendas que podem ser um problema para o consumidor. Como é o caso de uma casa oferecida para aluguel, em que a anunciante destaca a conta de energia baixa, por haver “gato” na rede elétrica. Em nota a Celpa informou que enviará uma equipe até o local para analisar a situação e tomar as medidas cabíveis a esse ato de furto.

Os consumidores devem alertam também para a venda ou troca de automóveis, como os carros “finan”, que muitas vezes, podem ser grandes armadilhas para os compradores. O delegado Paulo Junqueira explica que há dois tipos de carros “finan”, tem um em que o individuo comprou o carro, financiou e não conseguiu arcar com as parcelas e no caso estaria repassando esta dívida para um comprador. Esse caso não se trata de crime, esse veículo pode ser apreendido pela justiça e o terceiro que comprar o carro pode ser prejudicado porque ele está sabendo que comprou um carro com dívida com o banco e que o carro pode ser apreendido, a polícia com relação a isso não pode fazer nada, esse é o verdadeiro “finan”. Existe outro tipo de venda chamada de “finan”, em que o carro e roubado, é adulterado chassi e placa e este passa a trafegar como se fosse legalizado. Mas ele é vulgarmente conhecido como se fosse um carro clonado, é um veículo que será apreendido pela polícia civil e quem estiver em posse dele será preso ou por receptação ou por adulteração de sinal identificador de veículo.

Para evitar essas e outras fraudes na hora de fazer esse tipo de compra, a polícia orienta as precauções a serem tomadas na hora da compra. “O que a pessoa tem que ter em mente, se for o caso, é verificar o CNPJ da empresa, ver o nome da pessoa com quem está falando, e verificar através até mesmo da internet se essa pessoa está respondendo por algum tipo de crime”, orientou o delegado.

O importante é verificar de todos os modos a procedência do produto que você comprar ou trocar, e se for marcar encontro com o fornecedor, que seja em local público, e sempre vá acompanhado apenas por precaução. No mais, segundo pesquisas, as pessoas estão satisfeitas com a praticidade de desapegar fácil de algo que não lhe é mais útil, e de comprar algo necessário, sem tanta burocracia pela internet.

SAMARA BATISTA

JORNALISTA DRT: 2787/PA

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.