Crise das commodities derruba preços do níquel e cobre para mínimas em anos

1804

O cobre caiu abaixo de US$ 4.500 a tonelada pela primeira vez em seis anos, enquanto o níquel atingiu a menor cotação desde 2003, chegando a US$ 8.325 a tonelada na LME. Os preços diminuem em meio às preocupações de que os produtores não estão se esforçando o suficiente para conter o excesso de oferta dos metais.

A queda nos preços das commodities levou as ações de muitas mineradoras para mínimas de quase sete anos. O índice da London Metal Exchange (LME) para os seis principais contratos caiu quase 27% neste ano, a maior baixa desde a crise financeira global de 2008, à medida que a China diminui a demanda.

As expectativas são de que o Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, eleve, em breve, as taxas de juros que valorizaram o dólar e deixaram os metais mais caros para compradores que negociam em outras moedas. Ao mesmo tempo, a elevação na taxa de juros diminui os custos de produção de mineradoras de fora dos Estados Unidos, as encorajando a manter a produção, afirmou a T-Commodity, consultoria especializada de Milão, na Itália.

“A demanda chinesa continua fraca. A ação baixista [bearish] é forçar os produtores locais a cortar a produção. O que está deixando as pessoas negativas é o fato de que os custos de produção de muitos metais têm se mantido muito bem”, disse Gianclaudio Torlizzi, sócio da T-Commodity, por telefone à Bloomberg.

O cobre para entrega em três meses caiu 2,5% para US$ 4.468 a tonelada, na LME, na manhã desta segunda-feira, depois de atingir o menor nível desde maio de 2009. O metal para entrega em março na Comex, de Nova York, caiu 2,2% para US$ 2.014 por libra.

O níquel caiu até 5,7% para US$ 8.325 a tonelada na LME, a cotação mais baixa desde 2003. O zinco teve queda de 2,8%, compensando negativamente o avanço que registrou na sexta (20) depois que smelters chineses anunciaram planos para cortar a produção no ano que vem. O zinco estendeu a queda mesmo depois que a Glencore anunciou o corte de um terço da produção e a Nyrstar disse que tiraria do mercado até 400 mil toneladas caso os preços continuassem baixos.

O Goldman Sachs Group disse, neste mês, que os cortes na produção não são grandes o suficiente para ajudar os preços e que será preciso um aumento considerável na demanda chinesa. O Bank of America estima que é preciso um corte de 500 mi toneladas de cobre para equilibrar o mercado.

O Bloomberg Commodity Index, índice que avalia 22 matérias-primas, caiu para o menor nível em 16 anos, também derrubando o FTSE Mining Indez, que avalia 350 mineradoras, em 3,5%. A Anglo American, que tem o pior desempenho no mercado de ações do Reino Unido, perdeu até 4,8% neste ano, enquanto a Kaz Minerals caiu 6% no índice.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui