Já estava previsto a manifestação em Parauapebas contra as reformas trabalhistas e previdenciárias emplacadas pelo governo federal para aprovação no Congresso Nacional e Senado e na manhã desta sexta-feira (28) os movimentos sindicais e trabalhistas interditaram a portaria de acesso a Carajás, paralisando a troca de turno da mineradora Vale e das demais empresas que operam no projeto de Ferro Carajás.

Com a interdição nas primeiras horas do dia, a mineradora só conseguiu levar parte dos funcionários usando os ônibus que estavam vindos do turno e estava na parte de dentro da manifestação.

Desde as primeiras horas da manhã, Sindicatos se movimentam na cidade para não deixarem os ônibus da Júlio Simões e de outras empresas embarcarem funcionários, tampouco fazerem a viagem aos projetos de mineração.

A onda de manifestação que está ocorrendo em todo o Brasil não tem horário para acabar e os únicos ônibus que circulam pela cidade, por enquanto, são os coletivos da Central, que realizam o transporte da população.

Com informações Papo Carajás