Com bancas espalhadas em toda a cidade, Carajás da sorte chama atenção de fiscalizações

1
2839

O Carajás da Sorte vem chamando atenção não só dos adeptos ao jogo mas também de diversas secretarias do governo municipal de Parauapebas.

O jogo que é comercializado em bancas instaladas na sua maioria em áreas publicas, agredindo acintosamente o código de ética e postura do município, que não permite esta quantidade de espaço ocupado por uma única entidade.

Um levantamento feito pela Secretaria Municipal de Urbanismo, dão conta de mais de 200 bancas estão instaladas pela cidade, sendo que as mesmas não foram autorizadas pelo setor competente da SEMURB.

Outra secretaria municipal que deve atuar sobre o jogo, é a Secretaria de Meio Ambiente, que deve fiscalizar o uso de propaganda volante, feito pelos veículos de som com o volume estridente, principalmente nos finais de semana, com carreatas, fogos e anuncio das próximas programações.

Para alguns observadores, o processo de venda dos “certificados” feito nas bancas instaladas nos passeios é uma verdadeira exploração à mão de obra desempregada, pois o pagamento feito pelos promotores do jogo consiste apenas em comissão de 10%, caso consiga vender alguma cartela.

A equipe do Portal Noticias de Parauapebas entrou em contato com a assessoria de comunicação da prefeitura, onde emitiram a seguinte nota.

A Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semurb), informa que notificou a empresa responsável, determinando a retirada de tendas instaladas em vias públicas.

A Semurb realizou levantamento de outras unidades utilizadas com a mesma finalidade e vem tomando todas as providências a respeito desde o mês de junho, conforme determina o código de postura do município.

Até o fechamento da matéria não conseguimos contato com os responsáveis do jogo Carajás da Sorte.

Comentários

1 COMENTÁRIO

  1. Porque será que o que vale pra uns não vale pra todos? Será qual será a real preocupação das autoridades, órgãos competentes fiscalizadores? Seria realmente os danos causados por pessoas humildes e trabalhadores em suas tendas espalhadas na cidade, que infelizmente tem que se submeter a um sol escaldante pra levar o sustento pra suas famílias porque as contas vencem a barriga dói e os órgãos competentes, prefeitura
    estão preocupados em tirar o pouco de dignidade que lhes restam em nome do “código de ética”? E se não tiver nem esse pouco que se tem, vão fazer o que? Por mais que seja pouco, “exploração da mão de obra” citado no texto é ganho honestamente e arduamente todos os dias porque as autoridades competentes não estão preocupados em resolver. Realmente é muito pouco pra honrar os compromissos de milhares de pais e mães de famílias. A prefeitura órgãos competentes, governantes tem uma solução pra oferecer ou a preocupação é só com um código de ética que é aplicado pra uns e pra outros é feito vista grossa.Excesso de hipocrisia, ganância e muita falta de vontade de fazer o que se deve fazer.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here