O mês de agosto está marcado pela sensação de calor intenso e altas temperaturas em todo o Pará. Este cenário já era previsto pelo boletim climático da Rede de Previsão Climática e Hidrometereológica (RCPH), da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas). As temperaturas máximas podem alcançar até 38 graus, na região sul e sudeste do Pará, e 37° na capital.

Já a onda de frio que está na região sul e sudeste do Brasil, baixando as temperaturas em vários estados do país, não chegou ao Pará por conta da proximidade com a Linha do Equador. Segundo o coordenador de Hidrometereologia da Semas, Saulo Carvalho, esse fenômeno também não está provocando as chuvas na nossa região.

“Estamos na região que mais recebe calor e radiação solar o ano inteiro. Nem na região mais distante da faixa norte, como no sul do Pará, não há registro ou previsão alguma de baixa temperatura. As chuvas tem a tendência de aumentar agora já que passamos um longo tempo sem elas” – Saulo Carvalho, coordenador de Hidrometereologia da Semas.

Saulo Carvalho, coordenador de Hidrometereologia da SemasAinda de acordo o setor de Hidrometereologia da Semas, esse período de temperaturas mais elevadas deve permanecer até o mês de novembro, principalmente, na faixa norte do Pará até a região do Baixo Amazonas. Do dia 1º de agosto até esta terça-feira (25), choveu 25 milímetros. O esperado seria 130, por isso, há a sensação de mais calor e tempo abafado em toda a capital paraense.

“Passamos 20 dias sem registro de chuvas na estação meteorológica de Belém. Desde 2006, não registrávamos tanto tempo sem chover. Agora, as chuvas retornaram com nebulosidade e, mesmo assim, as temperaturas continuam altas. Em termo de conforto térmico, deve ficar mais agradável”, acredita Saulo Carvalho.