Criação de galinhas da raça índio gigante é destaque do Conexão Rural deste domingo

0
212

O Conexão Rural deste domingo traz como destaque uma reportagem sobre a criação de galinhas da raça índio gigante na Chácara Paraíso, na VS 10, a cinco km de Parauapebas, de propriedade do empresário maranhense Léo Alves, mais conhecido como Léo da Cervebrás. O local preserva uma matinha fechada, com ar puro, onde ele mantém há muitos anos uma plantação com cerca de 30 mil pés de cacau. A área tem dez alqueires e nela ele planta também frutas diversas e cria porcos.

Léo Alves, que mora em Parauapebas há 30 anos, disse que está gostando da experiência de criar galinhas da raça índio gigante e que a procura tem sido grande, tanto por ovos quanto por galinhas. “Estou com um plantel de duzentas galinhas e trinta galos da raça índio gigante. Montamos uma estrutura bem adequada, com orientação de técnicos de Goiânia, para que as aves possam viver sem estresse”, destacou o empresário, que conta com o apoio de dois experientes funcionários: o Paulo César Pereira e o Paulo Rafael Pinheiro.

A raça

O índio gigante surgiu nos estados de Goiás e de Minas Gerais do cruzamento das raças combatentes, Shamo e Malaio, também conhecidos por galos de rinha e de galinhas caipiras brasileiras, as dóceis galinhas nossa do dia a dia. (Ah, só lembrando que briga de galos de rinha é proibida no Brasil).

           

De acordo com a ANACIG/BC (Associação Nacional de Amigos Criadores de Índio Gigante e Índio Bico Curto), o índio gigante tem as seguintes características.

A galinha índio gigante tem acima de 80 centímetros, mas pode chegar a 1 metro e 15, e pesa até 8 quilos. Fazendo uma comparação, a galinha comum tem, em média, entre 30 e e 40 centímetros e pesa até três quilos e meio. A vida reprodutiva é de cinco anos em média, com queda gradativa a partir de 3 anos. Os machos começam a reproduzir com oito meses, mas atingem a plenitude aos quatorze meses. A raça índio gigante é mais resistente a doenças e a carne da galinha é macia e suculenta, de acordo com a Anacig/BC.

O programa traz ainda uma reportagem especial sobre o 20º Festival Folclórico da Amizade, realizado na Praça de Eventos e no Centro Cultural de Desenvolvimento (CDC), em Parauapebas, de 8 a 10 de julho. O evento teve como objetivo valorizar a cultura popular paraense-amazônica e integrar os grupos folclóricos da cidade e estados da região Norte.

O Conexão Rural tem produção e apresentação do jornalista Lima Rodrigues; edição de João Pezão Filho e imagens de Maurício de Souza. O programa é veiculado há mais de quatro anos todo domingo às 9h na RBATV, Band, canal 30 em Parauapebas (PA) e também no domingo, no mesmo horário, na TV Record, canal 12, de Canaã dos Carajás (PA).

 

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here