Após a veiculação da matéria, onde relata a manifestação de enfermeiros do Hospital Geral de Parauapebas (Confira aqui),  a assessoria de comunicação da GAMP, através de e-mail, enviou a seguinte nota. Confira na integra.

A Prefeitura Municipal de Parauapebas anunciou para a imprensa ter pago os valores devidos Ao GAMP-Grupo de Apoio À Medicina Preventiva E À Saúde Pública, pelo contrato de gestão do Hospital Geral de Parauapebas(HGP), mas só depositou trinta por cento referentes ao mês de setembro de 2016.

A direção do GAMP afirma que em respeito aos servidores de colaboradores, não pode escolher a quem pagar e só efetuará o repasse quando a Prefeitura depositar pelo menos os valores totais do mês de setembro.

Os médicos e todo o corpo clinico do HGP, pessoal administrativo e de apoio, paralisaram suas atividades na manhã desta quinta-feira, em protesto pelo não pagamento de seus salários. Até que a situação seja resolvida pela Secretaria Municipal de Saúde e a Prefeitura Municipal, não serão feitas novas internações. o número de médicos está reduzido para atender somente os pacientes internados. Por medida de economia a ar condicionado foi desligado e a dieta só será fornecida para os pacientes e funcionários, ficando suspensa para os acompanhantes. As cirurgias eletivas (que não são urgentes) estão suspensas. A maternidade só atenderá casos de urgência.

O GAMP, organização social que administra o hospital, manifesta sua total solidariedade ao movimento e afirma que  a unidade só funcionou até aqui por conta do esforço e dedicação dos médicos, enfermeiros, pessoal técnico, administrativo e de apoio. Os parceiros do GAMP, que fornecem equipamentos de alta tecnologia e prestação de serviços especializados, deram o máximo, mas não conseguem prosseguir com seu trabalho sem receber o que lhes é devido.

O GAMP deixa claro que sua responsabilidade é gerir o hospital com alta qualidade de gestão, o que tem sido feito desde o dia 1 de agosto de 2016, quando assumiu o HGP. Serviços inexistentes até então foram implantados, como a UTI-Unidade de Terapia Intensiva, a maternidade, o serviço de mamografia, cirurgias de baixa, média e alta complexidade, a hemodiálise que trouxe conforto e dignidade para dezenas de pacientes que tinham que se deslocar várias vezes por semana, viajando até 200 km e ficando fora de suas casas por até 15  horas diárias e hoje são atendidos em Parauapebas.

A responsabilidade de repassar os recursos para cobrir todos os compromissos é da Secretaria de Saúde e da Prefeitura Municipal.

Tão logo a totalidade  dos valores devidos seja depositada, será imediatamente repassada para a conta dos servidores e parceiros.

Entramos também em contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura de Parauapebas, mas até o fechamento da matéria o nosso e-mail ainda não tinha sido respondido.

Pablo Oliveira do Portal Noticias de Parauapebas 

Comentários

2 COMENTÁRIOS

  1. Isso e uma pouca vergonha dessa gestão estão saindo mas vão deixa um rombo no município gente cadê os nossos direitos cadê o ministério público olha o que esse prefeito esta fazendo com a gente todas as áreas estão em decadência total abandono

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here