Após perder 300 mil reais de cirurgias eletivas, Marabá perde 10 leitos de UTI Neonatal

Fonte: Diário do Pará

0
458

Recentemente foi noticiado através de blog, sites e redes sociais que a Secretaria Municipal de Saúde de Marabá (SMS) perdeu R$ 300 mil reais de cirurgias eletivas, deixando de atender a população e aumentando ainda mais a fila de esperas por essas cirurgias. Dessa vez a perda foi maior, especificamente, 10 leitos de UTI Neonatal que seria implantada no Hospital Materno Infantil (HMI).

No final de dezembro de 2017, por meio de Emendas de Bancada, o senador Paulo Rocha garantiu R$ 1.000.000,00 para o município de Marabá. O valor poderia ter sido dividir com outros municípios, mas para atender a demanda do município, a emenda foi direcionada apenas para Marabá, já que o referido hospital atende outros municípios da região e possui uma demanda muito grande. A emenda garantia a aquisição de equipamentos e implantação de 10 leitos de UTI Neonatal.

Prazos

A partir do momento que a emenda é liberada, o município precisa dar entrada nas propostas, nesse caso, junto ao Ministério da Saúde. A documentação exige cadastramento de proposta, justificativa de aplicação de emenda e justificativa técnica de obra. O último prazo para que a prefeitura de Marabá tinha para cadastrar e responder os questionamentos era no final do mês de dezembro do ano passado. O prazo foi encerrado e nenhuma resposta foi homologada.

Carajás

Vale lembrar que a região de Carajás tem aproximadamente 1,7 milhão de habitantes e que o principal Hospital Materno Infantil da região, o de Marabá, não conta com nenhuma UTI Neonatal. Com a ausência de UTI Neonatal, a população depende de vagas na UTI do Hospital Regional de Marabá, que não consegue atender a demanda dos dois hospitais.

Descaso

O que mais chama atenção é o desinteresse dos gestores da secretaria de saúde. Essa é a segunda verba parlamentar perdida por falta de competência de chefias, em menos de seis meses. A emenda já estava liberada. Dessa vez, Marabá não é a única prejudicada.

Assim como as cirurgias eletivas, a perda desse recurso ocorreu no Departamento de Média e Alta Complexidade, da Secretaria Municipal de Saúde, chefiado pela enfermeira Darmina Duarte, que deveria ter cuidado com mais afinco, desde o cadastro até a aprovação da proposta no Ministério da Saúde.

Bastidores

Corre nos bastidores da SMS que o motivo da perda dos recursos é que a enfermeira Darmina Duarte está preocupada mais em fazer política que trabalhar de forma técnica para a população. Recentemente a mesma conseguiu emplacar o cunhado, Marcones Santos (atual secretário de saúde), e marido, o médico Marcos Jová Santos, como diretor técnico do Hospital Municipal de Marabá.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.