Após perder 300 mil reais de cirurgias eletivas, Marabá perde 10 leitos de UTI Neonatal

Fonte: Diário do Pará

0
379

Recentemente foi noticiado através de blog, sites e redes sociais que a Secretaria Municipal de Saúde de Marabá (SMS) perdeu R$ 300 mil reais de cirurgias eletivas, deixando de atender a população e aumentando ainda mais a fila de esperas por essas cirurgias. Dessa vez a perda foi maior, especificamente, 10 leitos de UTI Neonatal que seria implantada no Hospital Materno Infantil (HMI).

No final de dezembro de 2017, por meio de Emendas de Bancada, o senador Paulo Rocha garantiu R$ 1.000.000,00 para o município de Marabá. O valor poderia ter sido dividir com outros municípios, mas para atender a demanda do município, a emenda foi direcionada apenas para Marabá, já que o referido hospital atende outros municípios da região e possui uma demanda muito grande. A emenda garantia a aquisição de equipamentos e implantação de 10 leitos de UTI Neonatal.

Prazos

A partir do momento que a emenda é liberada, o município precisa dar entrada nas propostas, nesse caso, junto ao Ministério da Saúde. A documentação exige cadastramento de proposta, justificativa de aplicação de emenda e justificativa técnica de obra. O último prazo para que a prefeitura de Marabá tinha para cadastrar e responder os questionamentos era no final do mês de dezembro do ano passado. O prazo foi encerrado e nenhuma resposta foi homologada.

Carajás

Vale lembrar que a região de Carajás tem aproximadamente 1,7 milhão de habitantes e que o principal Hospital Materno Infantil da região, o de Marabá, não conta com nenhuma UTI Neonatal. Com a ausência de UTI Neonatal, a população depende de vagas na UTI do Hospital Regional de Marabá, que não consegue atender a demanda dos dois hospitais.

Descaso

O que mais chama atenção é o desinteresse dos gestores da secretaria de saúde. Essa é a segunda verba parlamentar perdida por falta de competência de chefias, em menos de seis meses. A emenda já estava liberada. Dessa vez, Marabá não é a única prejudicada.

Assim como as cirurgias eletivas, a perda desse recurso ocorreu no Departamento de Média e Alta Complexidade, da Secretaria Municipal de Saúde, chefiado pela enfermeira Darmina Duarte, que deveria ter cuidado com mais afinco, desde o cadastro até a aprovação da proposta no Ministério da Saúde.

Bastidores

Corre nos bastidores da SMS que o motivo da perda dos recursos é que a enfermeira Darmina Duarte está preocupada mais em fazer política que trabalhar de forma técnica para a população. Recentemente a mesma conseguiu emplacar o cunhado, Marcones Santos (atual secretário de saúde), e marido, o médico Marcos Jová Santos, como diretor técnico do Hospital Municipal de Marabá.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui