Anuário do Pará 2016-2017 é lançado oficialmente com Belém e Parauapebas com os maiores PIB do estado

0
805

As cidades paraenses com maior Produto Interno Bruto (PIB) são Belém e Parauapebas. O município de Bannach é campeão em mortalidade infantil e também um dos menos assistidos pelo Programa Federal Bolsa Família. Estes e outros dados sobre o Estado podem ser encontrados no 7º Anuário Pará 2016/2017. A publicação foi lançada ontem à noite, em Belém, reunindo políticos, empresários, pesquisadores e outros setores da sociedade local.

De iniciativa do jornal Diário do Pará, o Anuário reúne, em suas 845 páginas, as mais diversas informações sobre economia, política, cultura, universidades e do setor privado do Estado. O conteúdo completo e atualizado é resultado de quase um ano de pesquisa, tendo como fonte diversos órgãos públicos e privados. “Trata-se de um acervo gigantesco de informações que poderá ser acessado por todos os setores, como escolas, academias e gestores públicos, colaborando, inclusive, para a tomada de decisões”, destacou o diretor-presidente do DIÁRIO, Jader Barbalho Filho.

NOVIDADES

Este ano, a edição traz duas novidades. A primeira é uma tabela demonstrativa do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de todos os municípios paraenses nos itens Renda, Educação e Longevidade. Mostra, por exemplo, que o arquipélago do Marajó continua sendo a região com o menor desenvolvimento do Pará, sobretudo em educação.

A segunda novidade é o quadro de empresas com melhor desempenho e as maiores por setor nas regiões Norte e Centro-Oeste. No setor de metalurgia e mineração, a MRN (Mineração Rio do Norte) aparece em primeiro lugar entre as melhores do ramo na Região Norte. Já a Hydro Alunorte ocupa a 92ª posição entre as maiores empresas regionais no segmento.

A publicação traz, ainda, dados relativos à exportação, balança comercial e potenciais mercados consumidores. Para o diretor-geral do Grupo RBA, Camilo Centeno, o Anuário é a única fonte completa de pesquisa do Estado. “Uma empresa que está se instalando aqui no Estado, por exemplo, pode utilizar o Anuário para analisar o que fazer para ter um bom negócio”, lembra Centeno.

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

Com tiragem de 15 mil exemplares, a publicação foi elaborada por profissionais paraenses e totalmente impressa na gráfica do DIÁRIO.

Na abertura do evento, o diretor-superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-PA), Fabrizio Guaglianone, palestrou sobre o tema “Resultados e Impactos das Ações nas Micro e Pequenas Empresas do Pará”.

Segundo Fabrizio, a atividade responde por mais de 12% do PIB regional com predominância para o setor de comércio.

EMPRESAS

Em 2016, o Pará registrou aproximadamente 258 mil empresas, totalizando a geração de 216,6 milhões de negócios em apenas um ano.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, faça seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.