Agricultores de Marabá e Parauapebas protestam no Pará

878

Assentados da zona rural foram até o escritório da Celpa protestar.Concessionária diz que levantamento de famílias já foi realizado.

Agricultores protestaram no escritório da Celpa, em Parauapebas, na última quarta-feira (28). Eles reclamaram da falta de energia elétrica em assentamentos rurais da região. A Celpa informou que o levantamento das famílias dos assentamentos da área já foi realizado, mas para que a concessionária execute as obras do Programa Luz para Todos, é necessário que essas famílias sejam priorizadas pelo comitê gestor estadual, órgão instituído por lei para esse fim.

Cartazes com frases de revolta por conta da falta de energia foram afixados na porta do escritório. Os agricultores queriam uma uma solução para o problema e relatam dificuldades para produzir e armanezar produtos rurais.

“O produtor sempre produz alguma coisa e não pode conservar nada porque não tem energia. Sem contar no dia a dia, que nós precisamos de luz. Então, é grave”, disse Lidemir Alves, produtor rural.

Os moradores são de três áreas de assentamento da zona rural de Parauapebas e Marabá. Noventa famílias estariam sendo prejudicadas pela falta do fornecimento de energia elétrica. Segundo os agricultores, em 2009 todos foram cadastrados no Programa Luz Para Todos, do Governo Federal, mas até hoje a luz não teria chegado.

Ainda de acordo com os assentados, uma rede de eletricidade passa perto de algumas moradias. Mesmo sem energia elétrica, tem agricultor recebendo a conta da concessionária.
“Já me comunicaram que pessoas pegaram o talão sem ter a energia. Isso é um absurdo para nós que somos consumidores”, disse Francisco Nascimento, agricultor.

Quanto às denúncias de faturas, a Celpa informou que desconhece que elas estejam sendo entregues, já que não há fornecimento de energia no local. A orientação é que as pessoas que estejam nessa situação procurem uma das agências de atendimento da Celpa.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui