O caso de um possível abuso sexual em uma criança de seis anos em Parauapebas, ainda repercute na cidade, o avô da criança é preso e filho do acusado acredita na inocência do pai, assim disse o advogado que defende o senhor José Fernandes Neto, 56 anos de idade.

Entenda o caso:

Uma criança de seis anos, moradora de Parauapebas, começou a apresentar alguns sintomas de doença na região genitália, apresentando escorrimento e infecção, e após a realização de exames, levantou-se a suspeita em que a criança poderia está sendo abusada sexualmente.

A investigação ainda segue em curso, mas na manhã desta quarta-feira (28) mediante mandado de prisão preventiva expedido pela justiça e cumprido pela equipe da RISP Superintendência Regional do Sudeste do Pará em Parauapebas, prendeu o nacional José Fernandes, 56 anos de idade, avô da criança.

Mas, de acordo com entrevista com o Portal Noticias de Parauapebas o advogado Tonny Araújo, “A família não concorda com a acusação, e o próprio pai da criança não acredita na acusação, e acredita que a situação foi criada por causa um desentendimento, por causa processo de separação entre o pai e a mão da criança. O senhor José Fernandes é firme e contundente em sua defesa, é um senhor de mais de 50 anos de idade na qual não possui nenhum antecedente criminal, denuncia e nem nada, este é um fato isolado que será esclarecido.” destacou o advogado.

“Vou requerer da justiça que seja feito um exame em meu cliente para ver se ele porta alguma doença venérea e comparar com o exame feito pela criança”, complementou.

Tony ainda relata que a criança não tinha contato apenas com o avô do sexo masculino, tem outras pessoas, padrasto da avó, vizinhos, amigos e ainda não há uma certeza absoluta que essa infecção tenha sido oriunda de uma relação sexual ou de falta de higiene ou uso de um banheiro, que somente o exame de laboratório irá esclarecer.

O acusado passou por exames e em seguida foi encaminhado para uma sela de transição na carceragem da Susipe, no bairro Rio Verde, onde ficará a disposição da justiça.

A delegada Yanna Azevedo, responsável pelo caso possivelmente irá gravar com a imprensa local no fim do dia. (Com informações Caetano Silva da redação)