Acusado de extorquir investigados em Parauapebas é preso em Belém

543

Homem usava nome de membros do Ministério Público durante extorsões.Procurador de Justiça deu voz de prisão ao acusado nesta quarta-feira, 20.

Um homem foi preso nesta quarta-feira (20) em Belém acusado de extorquir investigados pela Operação Filisteu, que investiga fraudes em licitações e desvio de recursos públicos na câmara de vereadores e na prefeitura do município de Parauapebas, no sudeste do Pará.

e acordo com informações do Ministério Público do Pará (MPPA), Lúcio de Assunção Oliveira usou os nomes do procurador de Justiça Nelson Pereira Medrado e do promotor de Justiça Hélio Rubens Pinho Pereira para prometer facilidades aos investigados pela operação. Lúcio era investigado pelo MPPA e já tinha mandado de prisão preventiva expedido pela Vara Criminal de Parauapebas.

O próprio procurador de Justiça Nelson Medrado deu voz de prisão ao acusado na sala do Núcleo de Combate à Improbidade e à Corrupção (NCIC) do MPPA. “Para minha surpresa apareceu aqui hoje dizendo ser assessor do vice-governador e do deputado José Megale e que veio me parabenizar pelo trabalho que tenho realizado a frente do Ministério Público e da Operação Filisteu”, relatou o procurador Medrado.

Segundo o promotor de Justiça Hélio Rubens, o acusado e mais dois comparsas cobravam dinheiro da família do operador do esquema de corrupção preso durante a operação. As cobranças eram realizadas em nome de Medrado e Rubens. “Conseguimos identificar os outros dois e eles foram presos, ainda por ocasião da Operação Filisteu. Só faltava prender o Lúcio e por incrível que pareça, veio até o NCIC parabenizar o Medrado pelo trabalho que vem desenvolvendo”, explica Rubens.

Ainda de acordo com o MPPA, Lúcio se passava por autoridades como o procurador Medrado em conversas encontradas no aparelho de telefone celular que ele usava, oferecendo inclusive supostas vantagens em investigações do MPPA. “Tem conversas dele extorquindo o prefeito de Muaná. O prefeito de Mocajuba já havia denunciado ao NCIC a prática de tentativa de extorsão pelo Lúcio”, conta Medrado.

Fonte: G1 Pará

Comentários